As cidades oferecem oportunidades incríveis. Compreender a dinâmica urbana e identificar locais que já possuem elementos mínimo para se transformar em uma centralidade urbana é uma delas. Uma centralidade urbana ainda pode ter uma vocação territorial e ser um lugar com uma especialidade urbana. Isso gerará novos negócios e atrairá moradores.

Como pode ser acelerada?

As cidades oferecem oportunidades incríveis. Compreender a dinâmica urbana e identificar locais que já possuem elementos mínimo para se transformar em uma centralidade urbana é uma delas. Uma centralidade urbana ainda pode ter uma vocação territorial e ser um lugar com uma especialidade urbana. Isso gerará novos negócios e atrairá moradores.

As cidades estão em constante transformação. Se orientadas por premissas parciais ou desatualizadas, as modificações no espaço urbano tendem a imprimir esses equívocos no território. Quando guiadas por uma visão comum que priorize a segurança das pessoas e a mobilidade ativa, essas intervenções têm o potencial de orientar a transformação da cidade em um lugar mais democrático, acolhedor, caminhável e seguro. É para esta cidade que aponta o novo Manual de Desenho Urbano e Obras Viárias de São Paulo.

As expressões priorizar pessoas, segurança e mobilidade ativa do artigo citado anteriormente são princípios indispensáveis quando se pensa em uma centralidade urbana. A porção do território de uma cidade, com uma dinâmica urbana de uma “minicidade” dentro da cidade. Significa que tenha (ou tem potencial para) uma certa autonomia com relação ao restante da cidade. Quanto potencial construtivo está escondido atrás destas possibilidades? Quanto potencial de gerar comunidade? Quanto potencial de qualificação urbana? Quanto potencial de novos empreendimentos imobiliários?

São perguntas que nos fazemos sempre e ficamos muito orgulhosos quando podemos desenvolver projetos desta natureza. Conto um case que consideramos um marco para a cidade de Joinville-SC e para nós da Biossplena.

A área, localizada na região Oeste da cidade de Joinville, fica entre a rodovia BR 101 e o centro da cidade, na interseção de dois eixos viários de importância e próxima a estação rodoviária.

Dentro dos terrenos em estudo, atualmente funciona um condomínio Industrial, parte do centro administrativo da empresa Tigre e um complexo de lazer e esportes da mesma, recentemente operado por um player privado especialista em parques.

Estratégias para o Planejamento Urbano

O projeto desenvolvido pela Biossplena Inteligência Urbana baseou suas propostas em um amplo diagnóstico. Isso permitiu compreender o território de influência da área, mediante a medição de indicadores urbanísticos com base em dados geo-localizados da cidade. Entendemos que além de estudar o funcionamento das atividades existentes dentro da área de projeto, os dados do contexto de inserção da área (ou área de influência) são muito importantes.

Eles são fundamentais para a visão de futuro e para dimensionar o potencial construtivo do novo projeto. Como resultado do diagnóstico foi realizado o planejamento de cenários de desenvolvimento e estratégias de crescimento que definiram diretrizes e vocações para cada parte da área.

Para ocupação dos lotes, foi identificada a possibilidade de manter usos industriais de alta performance (pelo menos para um cenário de médio prazo), além de novas áreas residenciais.

O projeto também previu a implantação de uma grande diversidade de usos comerciais ao longo das avenidas estruturais e a destinação de áreas para usos institucionais e de lazer, a fim de atender não só o empreendimento em si, mas também a comunidade do entorno, viabilizando o investimento nessa região da cidade.

Como ampliar a geração de valor

Na etapa de Masterplan Urbanístico, buscou seguir as diretrizes de uso misto e comunidade planejada buscando agregar valor ao empreendimento.

Visão curto, médio e longo prazo

Nosso cliente, em suas premissas solicitou a projeção de desenvolvimento urbano a curto, médio e longo prazo junto com a inclusão de indicadores de sustentabilidade que permitam qualificar o empreendimento de acordo com as exigências das cidades preocupadas com o seu futuro.

Além do projeto urbanístico, definição de usos e ocupação, a BIOSSPLENA também é captadora de negócios e investidores para o empreendimento.

Este projeto foi realizado antes da pandemia. Entendemos que esta abordagem passa a fazer ainda mais sentido em um mundo pós pandemia. Certamente os anos de 2020 e 2021 trouxeram à tona desafios que já aconteciam, mas que ficaram mais evidenciados. As cidades que são muito dispersas e pouco densas perceberam mais fortemente que isso não é saudável. A dependência da mobilidade diária para ir ao trabalho, em um período de pandemia deixou as pessoas mais preocupadas. Afora o tempo perdido e o uso de combustíveis com o deslocamento diário, está o risco de contaminação.

Tem algum modelo ideal a seguir?

As cidades podem desvendar importantes oportunidades ao pensarem seu planejamento urbano a partir de centralidade urbanas, ou seja, um modelo policêntrico.

Os empreendimentos imobiliários poderão acontecer de forma mais adaptada as necessidades dos moradores e consumidores, pois será mais adequado àquela comunidade. Assim a dinâmica urbana ganha vigor.

Além de diminuir a necessidade de deslocamentos porque emprego, moradia, lazer, educação, saúde estão próximos entre si, é notório a melhora da saúde. Já é fato que uma centralidade urbana pode reduzir problemas com obesidade, pressão alta e diabetes, pois caminharão mais.

Cidade de 15 minutos de Paris

Leia mais sobre isso no artigo Cidades policêntricas: um velho novo conceito como futuro urbano pós-pandemia

Certamente esta abordagem de cidades policêntricas é uma grande oportunidade para melhorar as cidades e gerar mais empreendimentos imobiliários de qualidade.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos

Obrigado pelo seu cadastro. Em breve receberá conteúdos em seu e-mail!
Ocorreu um erro ao tentar se cadastrar. Por favor, tente novamente mais tarde.